Não se apresse para os comprimidos que melhoram a potência

A manifestação da impotência pode ser limitada a um dos fenômenos que impedem a atividade sexual normal: uma violação da ejaculação, ereção instável, falta de orgasmo, frigidez. No entanto, muitas vezes a impotência é uma consequência de todo um complexo de desvios, e alguns tornam-se o pano de fundo para o desenvolvimento dos outros (com ereção instável, o medo de ser inadequado na cama provoca uma diminuição da atração no sexo oposto, acesse AZ21 Funciona).


As estatísticas mostram uma frequência suficiente de certos distúrbios eréteis. Embora tenha sido provado que o risco de impotência aumenta com a idade, cerca de um terço dos homens com até 60 anos já tem certos problemas com a implementação da relação sexual.

Medicamentos

Eles não curam a causa, mas apenas eliminam o sintoma.
Se você não se envolver em seu corpo, você pode pular uma doença grave.
A melhor proteção contra a disfunção erétil é a prevenção, isto é, um estilo de vida saudável normal: nutrição adequada, sono saudável e exercício moderado. Não comece o problema e viva a vida ao máximo.

Existem formas psicológicas (psicogênicas), orgânicas e mistas da Disfunção Erétil.
A maioria dos homens explica problemas de ereção (potência) por distúrbios psicológicos. No entanto, foi demonstrado que, em 80% dos casos, a DE tem uma natureza orgânica e surge como uma complicação de várias doenças somáticas.


Estes incluem diabetes, doenças vasculares, distúrbios neurológicos, distúrbios hormonais, lesões. Além disso, distúrbios da função sexual podem ser um efeito colateral de tomar certos medicamentos, uma conseqüência da cirurgia e lesões na região pélvica.
Contribuir para o desenvolvimento da impotência: alcoolismo, tabagismo prolongado, uso de drogas, prostatite, cuja causa mais comumente são doenças infecciosas não tratadas ou subtratadas sexualmente transmissíveis (clamídia, ureaplasmose), bem como vida sexual irregular, estresse e um estilo de vida inativo.


Além disso, uma ereção reduz o uso de drogas que inibem qualquer função do sistema nervoso central. Esforço físico excessivo, bem como o acúmulo de músculos enormes, “tomando” um grande número de hormônios sexuais, reduz a potência.